Acempro - Associação Cemitério dos Protestantes

Com a morte precoce do jovem jurista e professor alemão da Faculdade de Direito do Largo São Francisco, Julius Frank, em 19/06/1841, que por ser luterano foi negado o sepultamento nos cemitérios existentes, desdobraram-se os esforços para a abertura de um Cemitério Ecumênico.

Henrique Henrichen, procurador de diversos estrangeiros, em 1842, com base na lei imperial, requereu da Câmara Municipal a construção de um cemitério, recebendo a autorização apenas em 19/01/1843.

Este cemitério localizava-se na atual Av. Tiradentes, na altura do quartel da Policia Militar, e dividia-se em metade para os católicos estrangeiros e a outra para os não católicos. Chamaram-no de Cemitério dos Alemães, dos Estrangeiros, dos Protestantes e também Cemitério da Luz.

Em 1855, o Dr. Carlos Frederico Rath, recebeu da Câmara Municipal a incumbência de elaborar um projeto para um cemitério e capela nos "Altos da Consolação" e também para supervisionar a sua Construção.

O "Complexo de Cemitérios da Consolação" foi inaugurado em meados de 1858. No ano de 1859 foram construídos na mesma área o “Cemitério Ordem Terceira do Carmo” (católico) e o “Cemitério dos Protestantes” ambos na Rua Sergipe. Os primeiros registros de sepultamentos datam de 1862.

Com o passar dos anos a Associação Cemitério dos Protestantes evoluiu até se tornar uma das maiores entidades mantenedoras de cemitérios e crematórios do Brasil.

Após mais de 170 anos anos investindo e inovando na forma de administrar cemitérios com respeito, qualidade e o conforto que os familiares de nossos entes que partiram merecem, somos hoje uma referencia internacional para construção de novas necrópoles.

A Associação Cemitério dos Protestantes - ACEMPRO foi fundada em 1844 por luteranos de origem alemã e posteriormente contou com importante colaboração de anglicanos e presbiterianos.

Apesar da denominação “Protestantes”, esta Associação sempre manteve um caráter ecumênico e um tratamento igualitário a todos os seus associados.

Até o início do século XIX, os sepultamentos eram feitos em criptas sob as igrejas e ao redor delas. Até o início do século XIX, os sepultamentos eram feitos em criptas sob as igrejas e ao redor delas. D. Pedro I, em 1828, a exemplo do Dom João VI em Portugal, legislou sobre o assunto determinando a construção de cemitérios a céu aberto e atribuindo esta tarefa às câmaras municipais.

Responsabilidade Social

Em nossa política de responsabilidade social, conforme registrado em seu estatuto social, uma parte de seus investimentos são revertidos para projetos de educação infantil com ênfase no ensino religioso.

Para melhor atender a estas finalidades, foi fundada a Associação Cristã de Ensino – ACE, que administra a Escola Ceú Azul e, com a colaboração permanente da Acempro, atende a mais de 300 crianças desde a educação infantil até o 9º ano do ensino fundamental, no Bairro de Colônia, situado na carente região de Parelheiros, Zona Sul da Cidade de São Paulo.

Saiba mais... 

Meio Ambiente

A preservação e restauração do meio ambiente é outro importante fundamento envolvido em todas as atividades da ACEMPRO. Somos pioneiros na construção de cemitérios jardins, que mantém a quase totalidade de sua área como “pulmões urbanos”.

Mantemos uma área de 100.000 m2 de reflorestamento com espécies nativas; implantamos em nosso crematório um sistema de reuso das águas residuárias; preservamos trilhas ecológicas e promovemos o ideal de crescimento sustentável.

Investimos em pesquisas de contaminação de lençol freático, preservação das águas onde elas precipitam e o impacto ambiental de cemitérios, entre muitas outras. Lançamos o livro "Preservação do Fundo de Vales e das águas no planeta", de autoria de Flávio Magalhães, que propõe através desta obra uma série de ações para a preservação da natureza, sua fauna e sua flora.

Saiba mais...